21/01/2009







Teus poemas não os dates nunca...



Um poema



Não pertence ao Tempo...



Em seu pais estranho.



Se existe hora é sempre a hora extrema.



Quando o Anjo Azrael nos estende ao sedento



Labio o cálice inextinguivel.



O que tu fazes hoje é o mesmo poema.



Que fizeste em menino.



E o mesmo que,



Depois, que tu te fores



Alguém lerá baixinho e comovidamente,



A vivê-lo de novo.



A esse alguém



Que talvez nem tenha ainda nascido,



Dedica pois, teus poemas,



Não os dates porém



As almas não entendem isso!...



(Mário Quintana)

4 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Oi, querida:
Não tenho meus poemas datados, mas sei exatamente quando os fiz. vc não foi ao meu pedaço hj. No Gótico, há coisas interessantes.
Beijos,
Renata

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Ana, primeiramente obrigada pela visita e por ter deixado um comentário. Tantas pessoas passam pelo blog e geralmente não expõem o que acham. Jota Cê e eu expomos quase que diariamente o nosso amor em forma de palavras. Seja da maneira mais romantizada possível, até a forma mais fodida também. Tudo sai totalmente cru de dentro de nós. É assim que sentimos, é assim que amamos, é assim que bendizemos.

Gostei da sua casa, parabéns pela cor azul, gosto de azul.

Maravilhosa quinta.

~*Rebeca*~

-

FERNANDA & ASTROLOGIA disse...

QUERIDA ANA, COMO SEMPRE UM TEXTO MUITO INTELIGENTE... ADOREI AMIGA... UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Sagitário,

Peço desculpa por não ter feito comentários no teu blog mas gosto de comentar depois de ler atentamente os posts, o que não posso fazer neste momento por falta de tempo.
A teu comentário me emocionou muito.
Um grande beijo de amizade para ti !